Tontura constante: o que pode ser? Como tratar?

Sintoma aparentemente inofensivo, a tontura pode ser sinal de problemas graves, a depender das suas características.

Quadros muito frequentes ou intensos podem estar associados a uma variedade enorme de possibilidades, de problemas auditivos a quadros psiquiátricos.

Por isso, a seguir vamos te mostrar quando a tontura constante pode ser algo mais grave, quais as possíveis causas e formas de tratamento.

Acompanhe! 

Quando a tontura pode ser preocupante?

Episódios de tontura podem variar de leves e breves até os mais graves e prolongados, afetando significativamente a qualidade de vida de uma pessoa. 

Embora muitos casos de tontura sejam benignos ou resultem de condições facilmente tratáveis, há situações em que a tontura pode ser um sinal de alerta para condições mais sérias. 

É importante estar atento aos seguintes aspectos dos episódios de tontura que podem indicar a necessidade de uma avaliação médica mais aprofundada:

✅ Início súbito e severo: Tontura que começa de repente e com intensidade, especialmente se não há uma causa clara.

✅ Tontura recorrente ou persistente: Episódios que ocorrem repetidamente ou tontura que não desaparece por um longo período.

✅ Alterações neurológicas: Inclui sintomas como dificuldade de fala, fraqueza em um lado do corpo, alterações na visão, dificuldade para caminhar, perda de coordenação ou equilíbrio, ou qualquer outro sinal que sugira um problema no sistema nervoso.

✅ Sintomas associados: Como dor no peito, palpitações cardíacas, respiração curta, desmaios (síncope) ou quase desmaios, que podem sugerir problemas cardíacos ou outras condições graves.

✅ Dores de cabeça severas: Tontura acompanhada de uma dor de cabeça intensa, especialmente se a dor de cabeça for diferente das habituais ou se for a pior dor de cabeça já experimentada.

✅ Náusea ou vômito intenso: Tontura acompanhada de náusea significativa ou vômito, especialmente se esses sintomas forem persistentes e debilitantes.

✅ Histórico médico complexo: Pessoas com condições médicas preexistentes, como doenças cardíacas, diabetes ou pressão alta, podem ter um risco maior de complicações associadas à tontura.

✅ Impacto nas atividades diárias: Tontura que afeta significativamente a capacidade de realizar atividades diárias normais, como trabalhar, dirigir ou cuidar de si mesmo.

Quando a tontura é acompanhada por qualquer um desses sinais ou sintomas, é crucial buscar avaliação médica para determinar a causa subjacente e receber o tratamento apropriado. 

A tontura pode ser um sintoma de uma ampla gama de condições, desde problemas menores até doenças mais graves, e um diagnóstico preciso é essencial para um manejo eficaz.

Cardiologista em Brasília (DF)

Colesterol alto: o que pode causar no corpo?

Tontura constante: o que pode ser? 

Tonturas constantes podem ser causadas por uma variedade de condições, de diferentes níveis e gravidade. É importante distinguir entre tontura – uma sensação de desequilíbrio ou vertigem – e vertigem propriamente dita, que é a sensação de que você ou o ambiente ao seu redor está girando. 

Aqui estão algumas possíveis causas para tonturas constantes:

Distúrbios do ouvido interno

Uma das causas mais comuns de tontura são problemas que afetam as estruturas do ouvido interno, como:

✅ Vertigem posicional paroxística benigna (VPPB): Uma das causas mais comuns de vertigem, ocorre quando pequenos cristais de cálcio se deslocam para canais do ouvido interno, causando tontura com mudanças na posição da cabeça.

✅ Doença de Ménière: Caracterizada por episódios de vertigem, perda auditiva, zumbido e sensação de pressão no ouvido. É causada por alterações na quantidade de fluido dentro do ouvido interno.

✅ Neurite vestibular: Inflamação do nervo vestibular, geralmente causada por uma infecção viral, que pode levar a vertigem intensa.

Problemas neurológicos

Outro grupo de problemas que comumente podem provocar sensação de tontura são alterações neurológicas, como:

✅ Acidente vascular cerebral (AVC) ou ataque isquêmico transitório (AIT): Uma interrupção súbita do fluxo sanguíneo para o cérebro pode causar tontura ou vertigem, entre outros sintomas neurológicos.

✅ Esclerose múltipla: Uma doença do sistema nervoso central que pode afetar o equilíbrio e causar tontura.

✅ Tumor cerebral: Embora menos comum, tumores no cérebro ou no nervo auditivo (como o neuroma acústico) podem causar tontura.

Problemas cardiovasculares

Questões relacionadas à saúde do coração e dos vasos sanguíneos também podem resultar em sintomas de tontura constante, como:

✅ Hipotensão ortostática: Uma queda abrupta na pressão sanguínea ao se levantar pode causar tontura.

✅ Arritmias cardíacas: Batimentos cardíacos irregulares podem resultar em fluxo sanguíneo inadequado ao cérebro, causando episódios de tontura.

✅ Doença cardíaca: Diferentes formas de doença cardíaca podem afetar a circulação sanguínea suficiente para causar tontura.

Outras condições médicas

Além das causas acima, algumas condições mais gerais também podem causar o sintoma de tonturas frequentes, como:

✅ Anemia: Baixos níveis de hemoglobina ou ferro no sangue podem causar tontura devido à diminuição do oxigênio disponível para o cérebro.

✅ Desidratação ou desbalanço eletrolítico: A falta de fluidos adequados ou desequilíbrios nos eletrólitos do corpo podem levar à tontura

✅ Hipoglicemia: Baixos níveis de açúcar no sangue podem causar tontura, especialmente em pessoas com diabetes.

✅ Efeitos colaterais de medicamentos: Muitos medicamentos podem causar tontura como efeito colateral, especialmente aqueles que afetam a pressão sanguínea ou o sistema nervoso.

✅ Ansiedade e pânico: Transtornos de ansiedade podem manifestar-se fisicamente, incluindo sintomas de tontura ou vertigem.

É fundamental consultar um profissional de saúde para uma avaliação precisa se você estiver experimentando tonturas constantes. O diagnóstico correto é crucial para determinar o tratamento adequado, já que as tonturas podem ser sintomas de diversas condições que exigem abordagens terapêuticas específicas.

Como tratar?

O tratamento para tonturas constantes depende da causa subjacente identificada. Uma vez que a tontura pode ser sintoma de uma ampla gama de condições, o tratamento é personalizado para cada paciente, com base no diagnóstico específico, na gravidade dos sintomas e nas necessidades individuais. 

Aqui estão algumas possíveis formas de tratamento para tonturas, organizadas conforme algumas causas comuns:

Distúrbios do ouvido interno

✅ Manobras de reposicionamento: Para casos de Vertigem Posicional Paroxística Benigna (VPPB), manobras específicas (como a manobra de Epley) podem ser realizadas por um profissional de saúde para mover os cristais de cálcio de volta à sua posição original.

✅ Medicamentos: Podem ser prescritos para reduzir a vertigem e o enjoo, como antieméticos e antivertiginosos.

✅ Reabilitação vestibular: Um tipo de fisioterapia focada no equilíbrio que pode ajudar a treinar o sistema nervoso central a compensar desequilíbrios no ouvido interno.

Problemas neurológicos

Condições como acidentes vasculares cerebrais, esclerose múltipla ou tumores cerebrais requerem tratamentos específicos, que podem incluir medicações, cirurgia ou terapias direcionadas.

Problemas cardiovasculares

✅ Ajustes na medicação: Para hipotensão ortostática ou arritmias, ajustes nas medicações existentes ou a introdução de novos medicamentos podem ser necessários.

✅ Medidas de suporte: Instruções para mudanças graduais de posição, hidratação adequada e, em alguns casos, uso de meias de compressão para melhorar a circulação.

Outras condições médicas

✅ Suplementação ou ajustes dietéticos: Para anemia ou desbalanço eletrólito, pode ser recomendada suplementação ou ajustes na dieta.

✅ Controle da glicemia: Para hipoglicemia, especialmente em diabéticos, ajustes na dieta, na medicação ou no plano de insulina podem ser necessários.

✅ Revisão de medicamentos: Se a tontura é um efeito colateral de uma medicação, o médico pode ajustar a dose ou substituir o medicamento.

✅ Condições psiquiátricas: Para transtornos de ansiedade, a terapia cognitivo-comportamental pode ajudar a gerenciar a ansiedade e reduzir episódios de tontura relacionados ao estresse.

✅ Medicação: Antidepressivos ou ansiolíticos podem ser prescritos para controlar a ansiedade ou a depressão.

Medidas gerais

✅ Manejo do estresse: Técnicas de relaxamento, como meditação, ioga ou exercícios respiratórios, podem ajudar a reduzir a tontura associada ao estresse.

✅ Exercícios de equilíbrio: Exercícios específicos podem ajudar a melhorar o equilíbrio e reduzir a sensação de tontura.

É importante seguir as recomendações e o plano de tratamento proposto por um profissional de saúde qualificado, que pode incluir especialistas como cardiologistas, neurologistas, otorrinolaringologistas ou fisioterapeutas, dependendo da causa da tontura. 

O acompanhamento regular e a comunicação com a equipe de saúde são essenciais para ajustar o tratamento conforme necessário e garantir a melhor gestão possível dos sintomas.

————————————

Se você está em Brasília-DF ou Entorno, considere a Clínica Átrios como a sua opção!

Dispomos de todos os recursos necessários para investigar e acompanhar sua saúde e da sua família, além de um time de profissionais altamente qualificados e atenciosos.

Marque agora sua consulta com quem é referência no assunto.

Quero agendar minha consulta na Átrios