Horários:

Segunda a Sexta 7H30 às 19H


Sábado das 07H30 às 12H

O suor excessivo (ou hiperidrose) é um daqueles problemas que somente quem passa sabe os transtornos que provoca. Desde o constrangimento ao cumprimentar alguém até o risco de inutilizar documentos, ao tocá-los, por conta do excesso de suor nas mãos.

Porém uma dúvida muito recorrente é: suor excessivo é sinal de problema cardíaco?

Neste conteúdo vamos te explicar o que é, afinal, a hiperidrose, quais as suas causas, se existe relação com problemas cardíacos, além de trazer os melhores tratamentos!

O que define o suor em excesso?

Suor excessivo é sinal de problema cardíaco?

O suor excessivo (também conhecido como hiperidrose) é uma condição médica caracterizada pelo aumento anormal da transpiração, em relação ao necessário para a regulação da temperatura corporal. 

Pessoas com hiperidrose suam em excesso, independentemente da temperatura ambiente ou do nível de atividade física, e isso pode afetar significativamente sua qualidade de vida.

Existem duas formas principais de hiperidrose:

✅ Hiperidrose primária (essencial) – Este é o tipo mais comum de hiperidrose e não tem uma causa conhecida. A hiperidrose primária geralmente afeta áreas específicas do corpo, como as axilas, as mãos, os pés ou o rosto, e ocorre mesmo quando a pessoa não está experimentando calor, estresse ou ansiedade. Pode ser hereditária e muitas vezes começa na infância ou na adolescência.

✅ Hiperidrose secundária – Neste caso, a hiperidrose é causada por uma condição médica subjacente, como doença metabólica, distúrbio endócrino, menopausa, efeitos colaterais de medicamentos, entre outros. A hiperidrose secundária é geralmente mais generalizada no corpo e ocorre como resultado direto da condição subjacente.

Os sintomas da hiperidrose podem ser constrangedores e desconfortáveis, e podem afetar várias áreas da vida, incluindo a vida social e profissional. Pessoas com hiperidrose primária ou secundária podem experimentar suor excessivo nas axilas, nas mãos, nos pés, no rosto ou em outras partes do corpo.

Veja também:

Doença arterial coronariana (DAC): o que é, sintomas, causas e diagnósticos!

Marcapasso: como funciona e quando é indicado?

Suor excessivo é sinal de problema cardíaco?

A hiperidrose em si não é um sinal direto de um problema cardíaco. A hiperidrose é uma condição que envolve a produção excessiva de suor, geralmente devido a uma estimulação anormal das glândulas sudoríparas. 

No entanto, o suor excessivo pode ocorrer como uma resposta ao estresse ou à ansiedade, que podem afetar o sistema cardiovascular e o coração.

Em situações de estresse agudo ou ansiedade, o sistema nervoso simpático é ativado, o que pode levar a um aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial. O aumento da atividade do sistema nervoso simpático pode estimular as glândulas sudoríparas, causando sudorese excessiva em resposta a esses estados emocionais. No entanto, isso não significa necessariamente que a hiperidrose esteja diretamente relacionada a problemas cardíacos.

🚨É importante ressaltar que, se alguém está experimentando suor excessivo associado a outros sintomas preocupantes, como dor no peito, falta de ar, tontura ou outros sintomas cardíacos, é fundamental procurar atendimento médico imediatamente. Esses sintomas podem ser indicativos de problemas cardíacos graves, como um ataque cardíaco, e exigem avaliação e tratamento urgentes.

Em resumo, a hiperidrose em si não é um sinal direto de um problema cardíaco, mas o suor excessivo pode ser uma resposta a situações de estresse ou ansiedade que afetam o sistema cardiovascular. Se houver suspeita de um problema cardíaco, é importante buscar avaliação médica para um diagnóstico preciso e tratamento adequado.

Veja também: Falta de Ar: O que pode ser e como aliviar?

Suor excessivo e doença arterial coronariana: existe relação?

O suor excessivo em si não é um sintoma clássico da doença arterial coronariana (DAC), que envolve o estreitamento das artérias coronárias que fornecem sangue ao músculo cardíaco. Os sintomas mais comuns da DAC incluem dor no peito (angina), falta de ar, fadiga, palpitações e possivelmente desmaios.

No entanto, em casos raros, a sudorese excessiva, juntamente com outros sintomas, como dor no peito, pode ocorrer como parte de um quadro de angina instável. A angina instável é uma forma mais grave de angina que pode ser um sinal de que a DAC está progredindo e representando um risco aumentado de um evento cardiovascular agudo, como um infarto do miocárdio.

>>> Saiba mais: Doença arterial coronariana (DAC): o que é, sintomas, causas e diagnóstico! 

Como tratar esse problema?

O tratamento da hiperidrose, ou suor excessivo, pode variar de acordo com a gravidade dos sintomas e as preferências do paciente. Existem várias opções de tratamento disponíveis, incluindo:

Antitranspirantes fortes

Antitranspirantes contendo cloreto de alumínio são frequentemente a primeira linha de tratamento para a hiperidrose. Eles funcionam bloqueando temporariamente as glândulas sudoríparas e reduzindo a produção de suor. Os produtos de venda livre podem ser eficazes para casos leves a moderados, mas em casos mais graves, pode ser necessária uma fórmula prescrita por um médico.

Toxina botulínica

A injeção de toxina botulínica em áreas afetadas pode bloquear temporariamente os sinais nervosos que estimulam as glândulas sudoríparas a produzirem suor. Os efeitos podem durar vários meses, e o tratamento pode ser repetido conforme necessário.

Iontoforeses

A iontoforese é um procedimento no qual uma corrente elétrica fraca é usada para “fechar” temporariamente as glândulas sudoríparas. É frequentemente usado para tratar hiperidrose nas mãos e nos pés.

Cirurgia

Em casos graves e resistentes a outras opções de tratamento, a cirurgia pode ser uma opção. A simpatectomia torácica endoscópica é um procedimento em que os nervos simpáticos responsáveis pela estimulação das glândulas sudoríparas são cortados ou interrompidos. No entanto, a cirurgia é um último recurso devido aos riscos associados, incluindo complicações potenciais.

Medicamentos

Em casos graves, o médico pode prescrever medicamentos anticolinérgicos, que podem ajudar a reduzir a produção de suor. Esses medicamentos podem ter efeitos colaterais e são geralmente reservados para casos severos de hiperidrose.

Tratamento a laser

A terapia com laser pode ser usada para destruir as glândulas sudoríparas, reduzindo a produção de suor. No entanto, essa opção de tratamento não é amplamente utilizada e pode não ser adequada para todos os tipos de hiperidrose.

Terapia comportamental

A terapia cognitivo-comportamental (TCC) pode ser usada para ajudar os pacientes a lidar com o estresse e a ansiedade associados à hiperidrose. A TCC pode ser útil como parte de um plano de tratamento abrangente.

A escolha do tratamento depende da gravidade da hiperidrose, das áreas afetadas e das preferências do paciente. É importante procurar orientação médica para avaliar a melhor abordagem de tratamento. O tratamento eficaz da hiperidrose pode melhorar significativamente a qualidade de vida das pessoas afetadas.

————————————

Se você está em Brasília-DF ou Entorno, considere a Clínica Átrios como a sua opção em cuidados com a saúde do seu coração e da sua família!

Somos especializados em acompanhamento cardiológico, dispondo de todos os recursos necessários para investigar e acompanhar a saúde do seu coração, além de contar com um time de profissionais altamente qualificados e atenciosos.

Marque agora sua consulta com quem é referência no assunto.

Quero agendar minha consulta na Átrios

POSTS RELACIONADOS

Sono saudável: dicas para melhorar a qualidade e proteger sua saúde!

Dra. Núbia

6 de maio de 2024

recomendado - Saúde e bem-estar

Ler mais

Formigamento no corpo: causas e o que fazer

Dra. Núbia

13 de fevereiro de 2024

recomendado - Saúde e bem-estar

Ler mais

Como medir a pressão em casa?

Dra. Núbia

15 de janeiro de 2024

Cardiologia - Doenças cardiovasculares - Exames cardiológicos - recomendado

Ler mais

Fale Conosco

SHLS 716 CENTRO CLINICO SUL TORRE 1 - Asa Sul, Brasília - DF, 70390-700

(61) 3773-4700